Categorias
Psicanálise

O retorno de Freud!

Depois de passar décadas no ostracismo científico, as teorias de Freud voltaram a aparecer nos laboratórios — desta vez, com o apoio da neurociência.

Era julho de 2008. A capa da SUPER estampava: “Terapia funciona?”, em frente à imagem de um Freud sisudo de sobrancelhas cerradas. E completava: “Sim, o autoconhecimento funciona. Mas Freud talvez não tenha nada a ver com isso”. Dentro da revista, a reportagem era ainda mais implacável com o barbudo de Viena: lia-se que as teorias de Freud não tinham embasamento científico, que o tratamento era longo e imprevisível, e que o austríaco tinha até inventado fatos quando elaborou suas teses. Ao final do texto, o pai da psicanálise aparecia (metaforicamente) roxo e inchado, de tanto que havíamos batido nele.

A verdade é que Freud andava desacreditado havia tempo. Nos anos 1970, o filósofo austríaco Karl Popper já tinha chamado a psicanálise de pseudociência – segundo ele, suas hipóteses eram muito amplas para serem testadas e, portanto, impossíveis de confirmar.

Céticos apontavam que ninguém tinha encontrado, no cérebro, a localização de áreas correlatas ao id, ao ego ou ao superego. Mulheres diziam que não, elas não tinham inveja do pênis, muito obrigada. O complexo de Édipo e o medo da castração pareciam ficção, contada para pessoas dispostas a gastar muito dinheiro por anos a fio com um tratamento não comprovado pela ciência.

“Sem dúvida, nenhuma outra figura importante da história esteve tão errada quanto Freud a respeito de todas as coisas importantes que disse”, escreveu o professor de filosofia canadense Todd Dufresne.

Criticá-lo passou a ser lugar comum, e o “Freudbashing” (“bater em Freud”, em tradução livre) se tornou quase um esporte. O desenvolvimento de terapias mais curtas e pontuais parecia trazer as verdadeiras respostas para todos os males da mente. E, para completar, os medicamentos psiquiátricos nunca haviam sido tão eficientes. A psicanálise tinha sido deposta para sempre.

Opa, para sempre?

Surpreendentemente, nos últimos anos, Freud ressuscitou para a ciência – e começou a ser resgatado do lixo científico. Em vez de focar nos detalhes da sua teoria, as pesquisas começaram a reparar que os grandes conceitos do austríaco – a existência do inconsciente, o significado dos sonhos, as repressões de sentimentos – não eram exatamente histórias para boi dormir.

Também surgiram estudos mostrando que as terapias inspiradas na psicanálise, que costumam ser longas e custosas, são as mais eficientes para tratar males mentais. E mais: até mesmo a neurociência apareceu para dizer que… bem, Freud explica.

Fluxogramas do bem-estar

Primeiro, é bom entender como a terapia freudiana funciona. Um tratamento clássico pode envolver de quatro a cinco sessões por semana, por meses ou até anos. O paciente deve falar livremente o que lhe passa pela cabeça, enquanto o terapeuta escuta e faz questionamentos pontuais.

É um caminho tortuoso e lento – e, por isso, é difícil medir seus avanços. “A terapia tradicional vai muito além da redução de sintomas. O que os pacientes estão buscando é mais qualidade de vida, mais confiança e segurança nos relacionamentos, mais perspectiva sobre si mesmos”, diz Nancy McWilliams, professora da Universidade Rutgers e autora da obra Psychoanalytic Psychotherapy.

Nesse cenário, ainda nos anos 1960, psicólogos começaram a procurar soluções mais práticas e mensuráveis para os problemas da psique humana. A resposta foi a Terapia Cognitivo-Comportamental, ou TCC. Criada por Albert Ellis e Aaron Beck, dois psicanalistas desiludidos com o método freudiano, a TCC prometia uma abordagem mais pé no chão, que não exigia chafurdar no lodo de nossos conflitos inconscientes.

Bastava ajustar pensamentos prejudiciais – causados por crenças pessimistas a respeito de nós mesmos, do mundo e do futuro – e comportamentos pouco funcionais que surgem desses pensamentos. Nada de focar no passado, o foco é o presente. “Não é preciso saber como uma pessoa quebrou o braço para poder tratá-lo”, diz o terapeuta cognitivo Stefan G. Hofmann, autor do livro An Introduction to Modern CBT (“Introdução à TCC”, sem edição no Brasil). Nas sessões, o paciente pode preencher fluxogramas sobre seu estado mental e recebe dicas de exercícios para alterar os pensamentos e comportamentos negativos em momentos de crise.

Em 1961, Aaron Beck desenvolveu um questionário de 21 itens para medir o grau de depressão de seus pacientes. E conseguiu provar que alguns meses da técnica eram suficientes para aliviar os sintomas em cerca de metade deles.

Muitos estudos se seguiram a esses primeiros, sempre com resultados favoráveis à técnica. Tanto que, com o tempo, o termo “terapia baseada em evidência” passou a ser sinônimo do método, e a TCC, barata e com duração mais curta – o total varia de acordo com o paciente, mas a estimativa é entre 8 e 16 semanas –, foi adotada com entusiasmo como principal política de saúde mental em diversos países.

A volta de Sigmund

Assim como ocorreu com a psicanálise, porém, a TCC começou a ter sua hegemonia questionada. Em 2015, pesquisadores noruegueses publicaram uma meta-análise mostrando que a eficácia da terapia cognitiva para tratar a depressão caiu pela metade desde os primeiros estudos, em 1977.

Meses depois, na Suécia, auditores do governo publicaram um relatório devastador sobre um experimento de saúde mental do país, que pagou ao longo de oito anos R$ 2,6 bilhões em TCC para os cidadãos suecos. O programa do governo, concluíram os auditores, falhou completamente em seus objetivos.

E um artigo de 2004 mostrou como os pesquisadores da TCC, para tornar os resultados mais fáceis de interpretar, excluíam dos estudos justamente o tipo de paciente mais comum nos consultórios, aquele com mais de um problema psicológico.

Ao mesmo tempo em que a TCC era posta em dúvida, uma novidade inesperada começou a surgir nas publicações científicas: o resgate da abordagem freudiana de terapia. Ao contrário do que se dizia, a psicanálise e as terapias psicodinâmicas funcionam, sim, e muito bem.

Um estudo de 2016, enorme e feito no sistema de saúde inglês, mostrou que, para os pacientes com depressão mais grave, 18 meses de análise foram muito mais efetivos que o tratamento padrão, que incluía TCC. O mesmo resultado vale para outros transtornos, inclusive os mais severos.

É o que demonstra uma meta-análise publicada em 2008 no prestigioso JAMA, Journal of the American Medical Association, que concluiu que terapias freudianas com mais de um ano de duração são mais eficazes que terapias de curto prazo para pacientes com patologias complexas, como transtornos de personalidade.

O mais impressionante dos dados é que, diferente da terapia cognitiva e dos remédios, os benefícios da análise não só permaneceram, como ficaram ainda maiores após o final do tratamento, causando mudanças duradouras nos pacientes.

O cérebro no divã

Além das pesquisas populacionais comprovando sua eficácia, a psicanálise passou a ser endossada pela neurociência. Até o final da década de 1990, psicologia e neurociência falavam línguas completamente diferentes, apesar de estudarem o mesmo órgão. Com o avanço das técnicas de mapeamento cerebral, porém, a distância entre as duas áreas diminuiu.

A neurociência começou a se interessar por alguns dos conceitos fundamentais da psicanálise, como o inconsciente. Hoje, já se sabe que a maioria das nossas decisões e ações acontece, primeiro, nessa parte oculta da mente; só alguns milésimos de segundos depois é que tomamos consciência delas. Ou seja, o inconsciente já sabe o que você vai dizer antes mesmo de você pensar que quer dizer alguma coisa, e até escolhe as palavras para você.

É assim também com todas as habilidades que aprendemos na vida, como tocar violão ou pular corda. A prática faz com que essas habilidades fiquem gravadas em uma parte do inconsciente chamada “memória não declarativa”. Isso faz com que não precisemos pensar antes de executar cada movimento ou arremessar a bola na cesta: o inconsciente já sabe como chegar lá.

Hoje, já é senso comum que boa parte da atividade cerebral se passa no inconsciente – a estimativa dos neurocientistas é de que apenas 5%, ou até menos, se passe no nível da consciência.

Outro campo da neurociência que parece confirmar ideias da psicanálise é o dos sonhos. Freud teorizou que os sonhos apontam, de forma codificada, para nossos desejos inconscientes. Essa teoria foi praticamente enterrada nos anos 1970, quando pesquisas indicavam que os sonhos ocorriam durante o sono REM e eram controlados por um neurotransmissor produzido em uma região do tronco cerebral “menos importante” para os processos mais complexos da mente.

Por conta disso, passou-se a acreditar que os sonhos eram desencadeados por substâncias químicas que nada tinham a ver com a emoção e a motivação, ou seja, eram apenas estímulos aleatórios sem significado.

Essa teoria perdurou até o início dos anos 2000, quando o neurologista e psicanalista sul-africano Mark Solms viu que, ao contrário do que se pensava, pacientes com lesões na área do tronco cerebral continuavam sonhando, ao passo que outros, com lesões em outra região do cérebro – a área tegmentar ventral, que fica no centro da sua cabeça –, paravam de sonhar completamente, apesar de entrarem em REM.

As regiões afetadas nos pacientes que pararam de sonhar compõem o sistema mesolímbico-mesocortical, o chamado sistema de recompensa do cérebro. E o mais decisivo: além de parar de sonhar, as pessoas com lesões nesse sistema perdiam a motivação e o interesse pela vida. Com isso, Solms propôs que os sonhos estão ligados às nossas expectativas de punição e recompensa, algo não muito distante da teoria freudiana sobre o tema.

“É difícil dizer, hoje, que os sonhos são ‘desprovidos de mente’”, afirma o neurobiólogo Sidarta Ribeiro, diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em Natal. O interesse de Ribeiro pela psicanálise veio no início de seu doutorado nos Estados Unidos, quando ainda não estava adaptado ao país e teve uma depressão. Durante os dois meses que durou o episódio, ele sentia muito sono, chegando a dormir 16 horas por dia. Quando a crise passou, ele se interessou pelo sono e pelos sonhos, chegando a Freud.

O tema acabaria se tornando a linha de pesquisa principal do neurocientista, que desenvolveu estudos para ver o que acontece durante o sono quando os animais passam por períodos de aprendizado. Ele colocou eletrodos no cérebro dos bichinhos e descobriu que, se um rato não passou por nada de novo no dia dele, seu cérebro fica num estado de baixa plasticidade. Mas, se coisas diferentes acontecem durante a vigília, a atividade durante o sono REM muda. “É como se o cérebro estivesse aprendendo de novo”, afirma o cientista.

Para Ribeiro, essa é uma demonstração de que os sonhos contêm restos diurnos, o que Freud cravou em 1900. “O sonho não é aleatório. Ele revela as memórias que foram geradas, e que são a base do inconsciente”, afirma. Alguns sonhos, por sua vez, podem ser até “premonitórios”: uma pesquisa, publicada na revista Nature em 2015, mostrou que análises quantitativas da descrição de sonhos de adolescentes podem prever quadros psicóticos com até 30 meses de antecedência.

Reprimidos de verdade

O neurologista indiano Vilayanur Ramachandran, diretor do Centro para o Cérebro e Cognição da Universidade da Califórnia, em San Diego, é outro entusiasta da aproximação entre psicanálise e neurociência.

Em 1994, ele fez estudos com pessoas que sofriam de anosognosia, uma condição na qual pacientes não computam os graves danos físicos que haviam sofrido por causa de lesões cerebrais. Uma das pacientes de Ramachandran sofreu um derrame e perdeu os movimentos do braço, mas negava ter qualquer problema. Oito dias após o derrame, o cientista estimulou artificialmente o hemisfério direito da paciente, que, nessas condições, reconheceu a paralisia.

Ao término do estímulo, porém, a paciente voltou a acreditar que o membro estava normal, e perdeu qualquer lembrança de ter percebido a lesão, embora se lembrasse em detalhes do restante da conversa com o médico.

Ou seja, a informação da deficiência chegou ao cérebro da paciente, ao menos de forma inconsciente. Ela era, porém, incapaz de admitir isso em momentos de plena consciência.

Fato semelhante acontece com uma síndrome conhecida como psicose de Korsakoff, em que portadores de danos na região límbica frontal têm amnésia mas não admitem, inventando histórias para preencher as lacunas da memória.

É o caso de um paciente da neuropsicóloga Aikatereni Fotopolou, relatado por Mark Solms, que inventava narrativas mirabolantes para justificar a cicatriz em sua cabeça, ou a presença do pesquisador na sala. Ao longo dos dias, a história variava: Solms era um cliente; companheiro de bar; um colega do time em que jogara quando mais jovem; o mecânico de um carro esporte – que ele não possuía. Tudo, menos um médico tratando de um problema que, afinal, ele não admitia ter.

Ao analisar quantitativamente as alegações do paciente, Fotopolou percebeu que não eram aleatórias: a maioria representava aspirações, coisas positivas, desejos. Assim como os pacientes de Ramachandran, o homem reconstruía a realidade como gostaria que fosse. Era uma forma de lidar com a perda, equivalente à repressão teorizada por Freud – a ideia de que algumas memórias seriam dolorosas demais para mantermos e, por isso, acabam varridas para o fundo do inconsciente.

Na verdade, é difícil bater o martelo e afirmar que “Freud acertou aquilo” ou “Freud errou isso”. Como tudo que envolve a mente humana, não há uma única resposta para nossas inquietações – o que dirá uma única pessoa que seja capaz de explicá-las.

O que publicamos aqui na SUPER lá em 2008 não estava errado: a teoria de Freud é realmente cheia de generalizações e escorregões.

Talvez o maior acerto do austríaco tenha sido outro: “Mais que qualquer teoria específica, o legado de Freud é uma apreciação da riqueza e da complexidade da mente, do fato de que as coisas têm significados para além do que se pode ver na superfície”, diz Jonathan Shedler, psicólogo e professor de psiquiatria da Universidade do Colorado.

O que a ciência está fazendo agora é tentar fornecer as bases fisiológicas para toda essa complexidade. Algo que o próprio Freud, que era médico, neurologista e psiquiatra, aprovaria.

Fonte:

https://super.abril.com.br/ciencia/o-retorno-de-freud/

Categorias
Neurometria - Neurociência - Sistêmico

Cientistas encontram universo multidimensional no cérebro

Cientistas descobriram que o cérebro humano pode criar estruturas em até 11 dimensões.

É um grande esforço de imaginação tentar compreender o mundo em quatro dimensões para muitas pessoas, mas um novo estudo descobriu estruturas no cérebro com até onze dimensões – trabalho inovador que está começando a revelar segredos profundos da arquitetura do cérebro.

Usando topologia algébrica de uma forma que nunca foi usada antes na neurociência, a equipe do Blue Brain Project descobriu um universo de estruturas geométricas multidimensionais e espaços dentro das redes do cérebro.

A pesquisa, publicada na Frontiers in Computational Neuroscience, mostra que essas estruturas emergem quando um grupo de neurônios formam uma panelinha: cada neurônio se conecta à todos os outros neurônios do grupo de uma forma muito específica, que gera um objeto geométrico preciso. Quanto mais neurônios há em uma panelinha, maior é a dimensão do objeto geométrico.

“Encontramos um mundo que nunca tínhamos imaginado”, diz o neurocientista Henry Markram, diretor do Blue Brain Project e professor da EPFL em Lausanne, na Suíça. “Há dezenas de milhões desses objetos, mesmo em uma pequena parte do cérebro, até sete dimensões. Em algumas redes, até encontramos estruturas com até onze dimensões.”

Markram sugere que isso pode explicar por que tem sido tão difícil entender o cérebro. “A matemática usualmente aplicada para estudar redes não pode detectar grandes dimensões estruturais e espaços, que, agora, claramente podemos observar.”

Se os mundos 4D estendem a nossa imaginação, mundos com 5, 6 ou mais dimensões são demasiadamente complexos para a maioria de nós entender. É aqui que a topologia algébrica entra: um ramo da matemática que pode descrever sistemas com qualquer número de dimensões. Os matemáticos que levaram a topologia algébrica para o estudo de redes cerebrais no Blue Brain Project foram Kathryn Hess da EPFL e Ran Levi da Universidade de Aberdeen.

“A topologia algébrica é como um telescópio e um microscópio ao mesmo tempo. Pode ampliar as redes para encontrar estruturas ocultas – como árvores em florestas – e ver os espaços vazios – claramente – tudo ao mesmo tempo”, explica Hess.

A imagem tenta ilustrar algo que não pode ser imaginado – um universo de estruturas e espaços multidimensionais. À esquerda, uma cópia digital de uma parte do neocórtex, a parte mais evoluída do cérebro. À direita estão formas de tamanhos e geometrias diferentes, na tentativa de representar estruturas que variam de 1 dimensão a 7 dimensões e além. O “buraco negro” no meio é usado para simbolizar um complexo de espaços multidimensionais, ou cavidades. Pesquisadores do Blue Brain Project relatam que grupos de neurônios ligados a essas cavidades fornecem o elo perdido entre a estrutura neural e a função, em seu novo estudo publicado no Frontiers in Computational Neuroscience. Crédito da Imagem: Blue Origin Project

Em 2015, o Blue Brain Project publicou a primeira cópia digital de uma peça do córtex cerebral – a parte mais evoluída do cérebro e o local onde reside nossas sensações, ações e consciência. Nesta pesquisa mais recente, usando topologia algébrica, vários testes foram realizados no tecido cerebral virtual para mostrar que as estruturas cerebrais multidimensionais descobertas nunca poderiam ser produzidas por acaso. Então, experimentos foram realizados em um tecido cerebral real no Blue Brain’s Wet Lab, em Lausanne, confirmando que as descobertas anteriores no tecido virtual são biologicamente relevantes, e, também, sugerindo que o cérebro constantemente se reconecta durante o desenvolvimento para construir uma rede com números cada vez maiores de estruturas possíveis em alta dimensão.

Quando os pesquisadores apresentaram o tecido cerebral virtual com um estímulo, grupos de dimensões progressivamente maiores reuniram-se momentaneamente para incluir buracos de alta dimensão, que os pesquisadores se referem como cavidades. “O aparecimento de cavidades de alta dimensão quando o cérebro está processando informações significa que os neurônios na rede reagem a estímulos de uma forma extremamente organizada”, diz Levi. “É como se o cérebro reagisse a um estímulo por edifício, em seguida, demolisse uma torre de blocos multidimensionais, começando com hastes (1D), depois, pranchas (2D), em seguida, cubos (3D), e, então, geometrias mais complexas com 4D, 5D, etc. A progressão da atividade através do cérebro assemelha-se a um castelo de areia multidimensional que se materializa fora da areia e depois se desintegra.”

A grande questão que esses pesquisadores estão enfrentando agora é se a complexidade das tarefas que podemos realizar depende da complexidade multidimensional dos ‘castelos de areia’ que o cérebro pode construir. A neurociência também tem lutado para descobrir onde o cérebro guarda suas memórias. “Eles podem se ‘esconder’ em cavidades de alta dimensão”, Markram especula.

O artigo científico pode ser encontrado em Frontiers in Computational Neuroscience.

Fonte: https://socientifica.com.br/2019/07/06/cientistas-encontram-universo-multidimensional-no-cerebro/

Categorias
Autoconhecimento

A primeira imagem que você observar vai revelar seu tipo de poder mental

 O psicólogo e  ganhador do Prêmio Nobel, Roger W. Sperry, descobriu que os dois hemisférios do cérebro (esquerdo e direito) funcionam de maneira diferente, e a maneira como você pensa depende de qual lado é dominante. Com base em sua pesquisa, existem inúmeros testes que podem determinar o modo de pensar e os traços de personalidade de uma pessoa.

No Incrível.club avaliamos muitos desses testes e coletamos as informações mais precisas, para que você possa fazer sua própria análise. Faça este teste e conheça um pouco mais sobre você.

Observe rapidamente a imagem. Que animal você viu primeiro?

A primeira imagem que você vir vai revelar seu tipo de poder mental

Continue lendo para saber um pouco melhor sobre como sua mente funciona, a partir do animal que você viu primeiro.

A primeira imagem que você vir vai revelar seu tipo de poder mental

A cabeça de um tigre

A primeira imagem que você vir vai revelar seu tipo de poder mental

O hemisfério esquerdo do cérebro é mais ativo do que o hemisfério direito. Você é uma pessoa analítica, muito orientada para alcançar seus objetivos e organizada. Quando enfrenta um problema, tende a ser lógico, calculista e objetivo.

No entanto, às vezes você pensa muito sobre as decisões que toma, verificando se são as mais acertadas, então tende a ser inflexível. É aconselhável que ouça a opinião dos outros e também as leve em consideração. Lembre-se de que um pouco de humildade sempre o levará mais longe.

Seus traços de personalidade são:

  • Planejador: você faz tudo de maneira planejada, como em uma lista de tarefas pendentes.
  • Preciso: você tem seus objetivos fixos e conhece o caminho a seguir para alcançá-los.
  • Racional: as emoções e os sentimentos não impedem que você atinja seus objetivos.
  • Lógico: você tem aptidão para matemática, ciências e ideias sequenciais.
  • Realista: seu mundo é muito real. Nele não há lugar para contos de fadas e ficção. Da mesma forma, por mais altos que seus objetivos possam parecer para os outros, você sabe que são reais e alcançáveis.

Um macaco pendurado

A primeira imagem que você vir vai revelar seu tipo de poder mental

O hemisfério direito do seu cérebro é mais ativo. Você é uma pessoa criativa e cheia de ideias inovadoras. Quando enfrenta uma situação difícil, confia mais em sua intuição (quase sempre acerta), do que no pensamento crítico.

Você sabe perfeitamente bem que cada passo que dá na sua vida é uma lição para você e que, mesmo perdendo, está caminhando para a conquista de seus objetivos. Para você, a viagem é mais importante do que o objetivo. Como você é um sonhador, muitas vezes fica pensando em seu próprio paraíso. Para você, é essencial “ter os pés no chão”, perceber a realidade e prestar mais atenção ao mundo ao seu redor.

Seus traços de personalidade:

  • Impulsivo: você faz coisas espontaneamente. Você tem a capacidade de ver tudo de forma diferente dos outros.
  • Emocional: você se preocupa muito com as coisas. Você gasta tempo refletindo e agindo com base em sentimentos.
  • Criativo e artístico: você é especialista em música, arte e em outras disciplinas criativas.
  • Intuitivo: você não faz uma lista de tarefas e não segue as regras. Você resolve os problemas intuitivamente.
  • Sonhador: você tem sonhos, em vez de objetivos, e se esforça para alcançá-los, geralmente, com sucesso.

Lembre-se de que os 2 hemisférios do cérebro não funcionam isoladamente, mas trabalham juntos e se complementam. Então, embora pareça que você possui mais traços que se identificam com um deles, certamente também tem características do outro.

Então, qual imagem você viu primeiro? A cabeça do tigre ou do macaco que está pendurado? Seus traços de personalidade correspondem às descrições dadas?

Conte para nossa equipe na seção de comentários.

for Incrivel.club

Categorias
Comportamento

200 FILMES PARA EXPANDIR A SUA CONSCIÊNCIA

São cerca de 200 os filmes que estão disponíveis integralmente no Youtube para expandir a nossa consciência. Trata-se de uma incrível lista de documentários que abordam variados temas desde a ciência, espiritualidade, conspirações, extra-terrestres, etc. Portanto, aproveite e assista porque vale bem a pena. São, de fato, assuntos fascinantes que irão ajudar a expandir a sua consciência e contribuir para a sua evolução espiritual.

 

Basta clicar no link do filme que lhe interessa na lista seguinte:

 

  1. Home (2009)
  2. Thrive (2011)
  3. Paraíso UO Oblivion  (2012)
  4. Amor, Realidade eo Tempo de Transição  (2011)
  5. Earthlings  (2005)
  6. Tudo Que rápido Você SABE ESTÁ Errado (2000)
  7. Zeitgeist: Addendum (2008)
  8. Zeitgeist: Moving Forward (2011)
  9. Zeitgeist: Loose Change
  10. The Money Fix (2009)
  11. The Documentary Wikileaks  (2010)
  12. Possuído e Operado (2012)
  13. Overdose: The Next Crise Financeira (2010)
  14. Desculpas de hum Hitman Económica (2010)
  15. The Beautiful Truth (2008)
  16. The Awakening (2011)
  17. Seria Qual a aparencia Sua? (2009)
  18. O Mundo Segundo a Monsanto (2008)
  19. Esoteric Agenda (2008)
  20. Lucros de Matar: The Untold Story de drogar psicotrópico (2008)
  21. Colégio Conspiracy Scam nsa EUA (2011)
  22. O Indigo Evolution (2005)
  23. Cidade Edible: Crescer a Revolução (2012)
  24. Collapse (2009)
  25. O Cérebro global (1983)
  26. O buraco branco in Time (1993)
  27. O Primado da Consciência (2011)
  28. Combustível (2008)
  29. Poder da Comunidade: Como Cuba sobreviveu Peak Oil Crisis (2006)
  30. O Que Um caminho a Seguir: Vida sem Fim do Império (2007)
  31. Ressonância: Seres de Frequência (2012)
  32. Guerra POR página Outros Meios (1992)
  33. Endgame (2007)
  34. War Made Easy (2007)
  35. The War on Democracy (2007)
  36. Subir Como Lions: o documentário Occupy Wall Street (2011)
  37. Propaganda (2012)
  38. The Secret of Oz (2009)
  39. The One Percent (2006)
  40. The Shock Doctrine (2009)
  41. O Irã Não É o Problema (2008)
  42. Guerra Psicológica: o Verdadeiro campo de Batalha E a mente (2010)
  43. Vaccine Nation (2008)
  44. Psiquiatria: Uma Indústria da Morte (2006)
  45. Fluxo: For the Love of Water (2008)
  46. Kymatica (2009)
  47. Panelas, frigideiras, e Otras Soluções (2012)
  48. Manna: The Documentary Psilocibina Mushroom (2011)
  49. O Que No Mundo enguias estao pulverizando (2010)
  50. Por Que No Mundo enguias estao pulverizando (2012)
  51. Globalização: Os Novos governantes do Mundo (2001)
  52. Terrorstorm (2006)
  53. Queda da República (2009)
  54. Crop Circles: Crossover From Another Dimension (2006)
  55. The Day Before Disclosure (2010)
  56. 9/11: The Road to Tyranny (2002)
  57. 9/11: In Plane Site (2004)
  58. 9/11: Press For Truth (2006)
  59. A Revelação das Pirâmides (2010)
  60. Conhecimento Antiga (2012)
  61. A União: The Business Behind Getting High (2007)
  62. Dinheiro Como Dívida (2006)
  63. Dinheiro Como Dívida II (2009)
  64. The Age of Stupid (2009)
  65. Outfoxed: Guerra de Rupert Murdoch em Jornalismo (2004)
  66. Crossroads: Labor Pains de Uma Nova Visão do Mundo (2013)
  67. Recursos Humanos: engenharia social já Século 20 (2010)
  68. Renaissance 2.0 (2010)
  69. Crianças Que consomem: a Comercialização de Infância (2008)
  70. A guerra contra Crianças (2009)
  71. AINDA A Questão Palestina (2002)
  72. Peace, Propaganda, e na Terra Prometida (2004)
  73. Occupation 101: Vozes do Silenced Majority (2006)
  74. Walmart: o Alto Custo de Preços (2005)
  75. Big Sugar (2005)
  76. O Flúor Deception (2011)
  77. Fluoridegate: An American Tragedy (2013)
  78. An Inconvenient Tooth (2012)
  79. O Grande Expurgo: Our Water (2013)
  80. Tiros no escuro: Silence on Vaccines (2009)
  81. Eu sou Fishead: são Líderes Psicopatas Empresas? (2011)
  82. O capitalismo E a crise (2011)
  83. Escravidão Consentimento POR (2012)
  84. A Crise da Civilização (2011)
  85. No Logo: Brands, Globalização e Resistência (2003)
  86. 97% Owned (2012)
  87. Cultura em ao declínio – Episódio 1: O Que a democracia? (2012)
  88. Cultura em ao declínio – Episódio 2: Economics 101 (2012)
  89. Cultura em ao declínio – Episódio 3: CVD (2012)
  90. Cultura em ao declínio – Episódio 4: War on Nature (2013)
  91. Mundos Interiores, Mundos Cósmicos – Parte 1: Akasha (2012)
  92. Mundos Interiores, Mundos Cósmicos – Parte 2: The Spiral (2012)
  93. Mundos Interiores, Mundos Cósmicos – Parte 3: a EA serpente Lotus (2012)
  94. Mundos Interiores, Mundos Cósmicos – Parte 4: Além do Pensamento (2012)
  95. Ethos: A Time for Change (2010)
  96. Rich Media, Poor Democracy (2003)
  97. Weapons of Mass Deception (2004)
  98. Entheogen: Awakening the Divine Within (2007)
  99. Americana Blackout (2006)
  100. Incontáveis: The New Math de Eleições americanas (2008)
  101. Blue Gold: World Water Wars (2008)
  102. Big Bucks, Big Pharma: Doença de Marketing e drogas Pushing (2006)
  103. The End of Suburbia (2004)
  104. Repensar o Afeganistão (2009)
  105. Há No Tomorrow (2012)
  106. Iraque Venda: O Profiteers War (2006)
  107. Priceless (2012)
  108. O Que o Bleep Do We Know? (2004)
  109. 11 horas (2007)
  110. Paraíso com efeitos colaterais (2004)
  111. Starsuckers (2009)
  112. Despertando o Sonhador: Mudando um Sonho (2011)
  113. Religulous (2008)
  114. Sir! Não senhor! – O Movimento GI Para O Fim da Guerra do Vietnã (2005)
  115. Gasland (2010)
  116. Hacking Democracy (2008)
  117. Imóveis 4 Ransom:? Por Que o Terra Custar uma terra (2012)
  118. Desaparecimento das Abelhas (2009)
  119. Batido (2009)
  120. DMT: The Spirit Molecule
  121. Baraka (1992)
  122. Samsara
  123. Corte Gravar Veneno
  124. O Negócio de nascer
  125. The Cove
  126. Ayahuasca: Planta Antiga medicina
  127. Hempster – Plante uma Semente
  128. Coca Lives
  129. Forks Over Knives
  130. Dirty Pictures (O Deus Pai de Ecstasy)
  131. Tudo vigiado POR Machines of Loving Graça
  132. Os Mestres do Dinheiro
  133. The Secret of Oz
  134. Espírito Ciência 1-15
  135. Guerreiro Garbage
  136. Top 10 Eco Filmes de Todos os Tempos OS
  137. O Que Quer Babies
  138. Anel do Poder
  139. House of Numbers
  140. SiCKO
  141. Verdadeira História da Marijuana
  142. Executar a Partir de The Cure
  143. Olho de Os Illuminati
  144. Burzynski: Serious Câncer E de Negócios (2011)
  145. Shaman Voyage
  146. Libertopia
  147. Zeitgeist
  148. Pisar no fogo
  149. Propaganda
  150. Conhecimento Antigo Segredo
  151. A Montanha Sagrada
  152. Food Inc.
  153. A Revelação silencioso da Verdade
  154. A Decepção Obama
  155. O Grande Expurgo: Our Water
  156. Dreaming Awake At The End of Time
  157. A Novo Século Americano
  158. ZERO: Uma Investigação em 9/11
  159. The House I Live In
  160. Preto Whole
  161. We Are Legion – a história de um Hacktivistas (2012)
  162. Sirius – 2013
  163. A Doutrina do Choque
  164. Manifestando a Mente: Pegadas do Shaman
  165. Roleta Genética
  166. O Projeto de Divulgação
  167. Detox or Die
  168. The Corporation: The Pathological Pursuit of Profit and Power
  169. O Giggle Cosmic
  170. Consentimento Manufacturing: Noam Chomsky e Os Meios
  171. O Mindscape de Alan Moore
  172. A Century of The Self
  173. The Power Of Nightmares
  174. Livre para Jogar
  175. Waking Life
  176. Freakonomics
  177. COWSPIRACY: O Segredo de Sustentabilidade
  178. END CIV Resist Or Die
  179. China Or Bust
  180. The Secret 
  181. Edgar Cayce – Um Profeta americano
  182. O Projeto Venus – Future By Design
  183. The Greatest Talk of Jacque Fresco: O Projeto Venus
  184. ESCOLHA Ponto The Movie: Alinhar o Seu Propósito
  185. Woody Harrelson ‘Ethos’
  186. O Coletivo Evolução III: The Shift
  187. SOU EU (2010)
  188. A Matriz Viva
  189. Como Chegadas Série completa
  190. Amor, Reality, eo Tempo de Transição
  191. Look Up  – Geoengenharia
  192. Ungrip
  193. Mindwalk
  194. Realidade e da Mente Extensão  parte2
  195. Os Segredos Que Falta da Nikola Tesla
  196. Antigo Egito e A História Alternativa das Origens da Humanidade
  197. Os xamãs da Amazônia
  198. 5 Gateways: ósmio Expansões CINCO chave da Consciência
  199. O Universo holográfico
  200. O Código Pyramid
  201. EU MAIOR (Eu Superior)
Categorias
Universo Quântico

O QUE É HADÔ – TERAPIA QUÂNTICA

A palavra Hadô, em japonês, se escreve com duas letras e cada uma delas tem o seu significado. A primeira letra, “HÁ”, significa “onda” e “DO” significa “vibração”.

Assim, se traduzirmos a palavra Hadô para o português, ao pé da letra seria: onda vibratória. Mas a palavra Hadô possui significados muito mais profundos.

– Hadô representa os nossos sentimentos assim como os nossos pensamentos.
– Hadô é uma forma de energia infinitamente pequena (fraca) que ainda não pode ser explicada por meio da ciência convencional.
– Todos os elementos do universo, orgânicos ou inorgânicos, emanam Hadô.
– Hadô é uma forma de energia emitida por nós – eu, você etc. – pelos animais como cachorros ou gatos, pela água, pela madeira, pelos metais, enfim, todas as matérias.

O Hadô se transmite independentemente do lugar físico.

Nós vivemos dia a dia emitindo Hadô inconscientemente uns aos outros, fazendo o intercâmbio e trocando suas ondas. O Hadô não pode ser visto a olho nu, nem pode ser tocado, porém, se conhecermos o princípio do Hadô e o utilizarmos de forma inteligente as suas propriedades, nós podemos até mesmo mudar a nossa vida.

É dito que todas as doenças são causadas pelo desarranjo do Hadô ou da interrupção do fluxo do Hadô.

 

Categorias
Neurometria - Neurociência - Sistêmico

Treinamento Comportamental Computadorizado

Neurometria é uma metodologia que utiliza técnicas reconhecidas mundialmente, onde tem como objetivo realizar Análise Funcional e o Treinamento do Sistema Nervoso Autonômico (com sensores periféricos) e Cognitivo (com sensores na cabeça), com o objetivo de melhorar a Saúde Física, Mental e potencializar a Alta Performance.

 

Favorece a melhora nos casos de:Depressão;

 

  1. Distúrbios do Sono;

  2. Transtornos de Ansiedade;

  3. Transtornos do Humor;

  4. Estresse;

  5. Dependência química;

  6. Distúrbios Cardíacos;

  7. Cefaleia Tensional;

  8. Enxaqueca;

  9. Dores crônicas;

  10. Fibromialgia;

  11. Bruxismo;

  12. Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH;

  13. Distúrbios Respiratórios;

  14. Transtorno Obsessivo Compulsivo – TOC;

  15. Síndrome do Pânico;

  16. Dificuldade em fazer provas;

  17. Distúrbios de atenção;

  18. Dificuldade de concentração;

  19. Dificuldade de raciocínio lógico;

  20. Dificuldade de leitura e interpretação;

  21. Dificuldade de memória;

  22. Dificuldades de aprendizagem em geral;

  23. Complementar no tratamento para baixo rendimento escolar e desmotivação para o estudo.

 

Benefícios comprovados pela Ciência:

  1. Melhora no ciclo sono-vigília;

  2. Auxiliar nos tratamentos de doenças degenerativas;

  3. Diminuir Estresse e Auxiliar no tratamento da Depressão;

  4. Regulador hormonal;

  5. Controle do cansaço e desânimo;

  6. Auxiliar no equilíbrio dos sistemas endócrino, imune, digestivo, linfático e reprodutor;

  7. Controle Cardiovascular;

  8. Qualidade de vida e bem estar;

  9. Complementar em tratamento e prevenção do enfarto.

Categorias
Comportamento

FERRAMENTAS DA NEUROMETRIA

O profissional pode utilizar sua expertise com a Neurometria e associá-la para potencializar seus procedimentos e resultados. A metodologia utiliza os seguintes procedimentos:

 

  • ANÁLISE FUNCIONAL DO SISTEMA NERVOSO E COGNITIVO
  • RESSONÂNCIA NEURAL COMPUTADORIZADA
  • EXAMES LABORATORIAIS
  • PROTOCOLOS DE DESEMPENHO CEREBRAL
  • ANÁLISE DO PREDOMÍNIO DE ONDAS DO CÉREBRO
  • INDUTOR DE ONDAS CEREBRAL
  • RELAXAMENTO MUSCULAR PROGRESSIVO COMPUTADORIZADO
  • SUPLEMENTAÇÃO (para prescritores e não prescritores)
  • RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA MONITORADA
  • ALIMENTAÇÃO FUNCIONAL E RESERVA NUTRICIONAL
  • INTOLERÂNCIA E REAÇÕES ALIMENTARES NA NEUROFISIOLOGIA
  • GERADOR DE ONDAS DO CÉREBRO
  • MONITORAMENTO
  • PRÁTICA ESPORTIVA
  • PROGRAMA PEDAGÓGICO DE ESTIMULAÇÃO NA ATENÇÃO
  • TERAPÊUTICA DOMICILIAR PARA ESTIMULAR NEUROPLASTICIDADE
  • BIOFEEDBACK E NEUROFEEDBACK
  • ESTRATÉGIAS DE PERFORMANCE PESSOAL, FOCO, ATENÇÃO, HABILIDADES E COMPETÊNCIAS.
  • TÉCNICAS ASSOCIATIVAS: ACUPUNTURA, HIPNOSE, MANOBRAS MANUAIS, MEDICINA COMPORTAMENTAL
  • APLICAÇÕES DO AJUSTE COGNITIVO E CONDICIONAMENTO COMPORTAMENTAL
  • APLICAÇÃO MULTIMODAL COM OUTRAS DISCIPLINAS
Categorias
Neurometria - Neurociência - Sistêmico

O QUE É NEUROMETRIA – METODOLOGIA

A Neurometria é uma Metodologia Organizacional e/ou Disciplina multimodal que atua no campo interdisciplinar da Medicina, das Ciências do Comportamento, Esporte, Educação, Qualidade de Vida e Performance Pessoal. Cada profissional pode utilizar sua expertise dentro dessa metodologia e associá-la para potencializar os seus procedimentos e resultados, cujo objetivo fundamental é o de propor ações que aumentem a eficácia das estratégias clínicas convencionais, atingindo assim níveis Significativos e de Excelência. O termo funcional está relacionado à variabilidade do funcionamento do sistema nervoso, imunológico e metabólico, isto é, quanto maior e melhor a variabilidade, mais funcional e adaptativo esses sistemas estarão, onde associados ao cognitivo poderão intervir em ações terapêuticas, psicoterapêuticas, medicamentosas e alimentares.

 

Dessa forma nasce à metodologia da Neurometria, como uma disciplina institutiva que constitui uma associação bem fundamentada de técnicas e procedimentos, reconhecidos mundialmente, e que Focaliza a interação entre o cérebro, mente, corpo e comportamento com as poderosas formas nas quais os fatores emocionais e sociais, podem afetar diretamente a saúde” (NCCAM Publication No D239, agosto de 2005), proporcionando alívio para o sofrimento físico, emocional e aumentando a Qualidade de Vida e Bem Estar.

 

ÃO MUITOS BENEFÍCIOS AO CLIENTE, VEJA:

– Suporte Técnico Online;
– Apoio Profissional;
– Grupos de Estudos (GEN);
– Assistência Técnica Online;
– Campanhas de Qualidade;
– Indicativo Profissional;
– Cadastramento e habilitação (equipamento/profissional)
– Termo de Garantia;
– Inserção do código de rastreabilidade ANVISA e ISO 13.485;
– Recalibração;
– Apoio na instalação e adequação no uso do computador;
– Tira-dúvidas;
– Comitê de Ética etc.
Categorias
Neurometria - Neurociência - Sistêmico

Homúnculo cortical: como nosso cérebro vê nosso corpo

e você olhar no espelho, verá como seu corpo se parece por fora. O homúnculo cortical, por outro lado, representa a forma como nosso cérebro vê nosso corpo a partir do interior.

Na década de 1930, o neurocirurgião Wilder Penfield operou pacientes com epilepsia. Já que tinha a sua disposição um cérebro vivo na mesa cirúrgica, ele aproveitou para “bisbilhotar” um pouco.

O médico levantou dados a fim de descobrir quais partes do córtex cerebral controlavam quais movimentos corporais voluntários e sentimentos. O que ele descobriu foi uma visão muito distorcida do corpo humano: o homúnculo cortical.

O homúnculo cortical representa a importância de várias partes do seu corpo, determinadas pelo seu cérebro.

Por exemplo, há pouca necessidade para o cérebro de saber o que está acontecendo nos braços e pernas. Tudo que esses membros precisam fazer é ficar longe do fogo e colocar as mãos e os pés nos lugares certos.

As mãos, a língua, os órgãos genitais e as características faciais são extremamente importantes, pois dão às pessoas uma tonelada de informações sensoriais. Como resultado, elas ocupam muito espaço no cérebro.

ontribuição além do superficial

Embora o homúnculo cortical seja uma curiosidade, o trabalho de Penfield em mapear a relação do cérebro para o corpo foi inestimável.

Formado na Universidade de Princeton, ele passou por anos de treinamento na Universidade de Oxford, na Espanha, na Alemanha e em Nova York (EUA), antes de se tornar o primeiro neurocirurgião em Montreal, Canadá.

Na década de 1950, Penfield buscava tratar pacientes com epilepsia de difícil controle. Antes de um ataque epiléptico, ele sabia que os pacientes experimentavam uma “aura”, um aviso de que o ataque está prestes a ocorrer.

Penfield testou se poderia provocar esta aura com uma leve corrente elétrica no cérebro, para localizar e destruir ou remover a fonte da atividade. Enquanto os pacientes estavam plenamente conscientes, embora anestesiados, ele abriu seus crânios e tentou localizar a origem de sua epilepsia.

Sua técnica foi muitas vezes bem sucedida, mas as cirurgias experimentais levaram a uma descoberta ainda mais dramática.

A estimulação em qualquer parte do córtex cerebral trouxe respostas de um tipo ou outro, e ele descobriu que só estimulando os lobos temporais (as partes mais baixas do cérebro de cada lado) que ele poderia obter respostas significativas e integradas, como a memória, incluindo som, movimento e cor.

Categorias
Análise de Filmes

LISTA DE FILMES E SUAS TEMÁTICAS PSICOLÓGICAS PARA ESTUDOS – I

 

Segue abaixo um serie de indicações de filmes para você conhecer e estudar um pouco sobre o tema.

 

 

Filmes para compreender a ignorância, agressiva ou não, fanática ou não.

Evil – raízes do mal – noção de superioridade de uns machucando os “inferiores”

Amém – A participação ou negligência da Igreja Católica frente o Holocausto

O Julgamento de Nuremberg (com Alec Baldwin) – O Julgamento e tentativa de compreensão daqueles que elaboraram o Holocausto

A Matemática do Diabo – uma jovem judia negligente com relação ao holocausto entra na pele de uma parente que passou pela vida num campo de concentração

Cruzada – o sangue derramado por um pedaço de terra de relevância religiosa

Queda – os últimos dias de Hitler e alguns de seus seguidores antes do suicídio daquele

A Experiência (filme alemão) – uma pesquisa alemã sobre relação entre oprimidos e opressores

Tolerância Zero – um Judeu que se torna nazista

A Outra História Americana – um fascista que conhece o outro lado da moeda

Billy Elliot – as repressões religiosas e ignorantes

A Confissão (com Kenneth Brannagh) – o jantar em que é decidido como lidar com a “questão judaica” a qual leva ao holocausto

Lutero – as críticas de Lutero à Instituição Católica de seu tempo

A Beleza Americana – pessoas movidas de maneira alienada com relação a elas mesmas

O Planeta dos Macacos – o exercício do poder de uns sobre outros, decidido pela força das armas

 

 

Para  lidar  com  dependência  química

28 Dias – alguns importantes detalhes sobre internações para dependência química

Mera Coincidência – a responsabilidade perante a própria indisciplina frente álcool

Cristiane F. – a dura atividade de largar a dependência química

Kids – jovens fazendo uso de drogas de maneira imprudente e displicente

Ray (Charles) – história do músico, sendo uma das partes o exercício de largar a heroína

Despedida em Las Vegas – um homem que se consome através da garrafa

 

 

Aprendizagens   dolorosas,   intensas  (traumas)  ou  não  e  efeitos

A Filha Do General – a dor da traição do pai

Voltando a Viver – algumas vivências com as quais o indivíduo se tornou raivoso. Em terapia aprende a lidar com elas

Sleepers – Vingança Adormecida – história de garotos que passam por uma prisão para jovens e seus sofrimentos durante e depois

Filhas de Deus – O massacre psicológico de 3 mulheres internadas em um convento

Hypnos – múltiplos mecanismos de defesa trabalhados em hipnose devido a um acontecimento de difícil elaboração

Duas Vidas – os efeitos perturbadores de ocorrências aparentemente simples na infância

Efeito Borboleta – de como pequenas coisas, aparentemente, quando criança afetam toda uma vida

 

 

 

Para   lidar   com   separações   de   amantes

Neve Sobre os Cedros – grandes amantes enquanto jovens são obrigados a separarem-se, tendo o homem dificuldades de superar a união da então amada

O Pequeno Dicionário Amoroso – a história de um casal com início, meio e fim e novo relacionamento

Sob o Sol da Toscana – a história de uma mulher que perdeu o sentido da vida ao perder o seu amor e sua luta para retomar a graça

O Último Beijo – alguns amigos em torno dos 30 anos e suas situações com as mulheres

Os Garotos Da Minha Vida – a história de uma mulher com seu pai, amante e seu filho

Avassaladoras – mulheres lidando com as dificuldades com homens e trabalho

 

 

Relacionamentos   entre   amantes

A Dona da História – mulher de cerca de 55 anos tem oportunidade de mudar a história da sua vida ao revisitar a sua vida quando jovem

A História de Nós Dois – casal há bastante tempo junto sem vitalidade retoma o relacionamento apesar das dificuldades

O Último Beijo – relações de alguns homens e mulheres entre casamento, filho, divórcio e diferentes fases entre um e outro

As Confissões de Schmidt – homem de cerca de 65 anos reflete sobre os efeitos dos possíveis erros que poderiam ter facilitado a traição da sua mulher com o seu amigo

Anjo de Vidro – além de ciúmes, também dificuldades diversas de relacionamento

Alguém tem que Ceder – um casal de cerca de 60 anos e suas lutas

De Olhos Bem Abertos – um casal em crise por ciúmes

O Declínio do Império Americano – relacionamentos em múltiplas faces cruas

Avassaladoras – jovens mulheres de 30 anos e suas reflexões sobre homens e trabalhos

Abaixo o Amor – as alterações entre a “antiga” forma de relação homem-mulher e a “atual”

O Espelho tem Duas Faces – um homem cuja teoria sobre relacionamentos fracassarem ser sexo e de uma mulher que pensa o oposto

Relações entre Pais e Filhos

Procurando Nemo – pai superprotetor cria situações desagradáveis para seu filho e ele terá que atravessar o oceano para salvar o seu filho, que se desaponta com o pai

O Rei Leão – um pai ensinando o seu filho sobre ser homem e a morte

Eclipse Total – uma mãe que protege sua filha de forma grosseira e não percebida pela filha

 

 

 

 

Para   lidar   com   ciúmes

De Olhos Bem Fechados – casal lida com o desejo do cônjuge em relação a outra pessoa

As Pontes de Madison – mulher tem relação com outro homem enquanto o marido viaja com os filhos

 

 

 

 

Para   lidar   com   o   medo   da   morte

Amor Além da Vida – família se encontra no céu e inferno após a morte de cada um e suas lutas para permanecerem juntos

Doce Novembro – homem tem relação com mulher cujo objetivo antes de morrer é ajudar homens obcecados com os seus trabalhos

Outubro em Nova Iorque – jovem artista com doença fatal se relaciona com exn-namorado de sua mãe antes de morrer

Invasões Bárbaras – homem vai a casa em frente a um lago com seus amigos, filho e nora antes de tirar a própria vida na presença de todos por não querer mais viver com o câncer

Minha Vida – homem grava fitas de reflexões sobre a vida para o seu filho que está por nascer antes de ele morrer devido ao seu câncer

Gladiador – homem dá a própria vida por seus valores

O Rei Leão – pai prepara o filho para lidar com a morte de seu pai

Mar Adentro – mulher em alto mar e em meio aos tubarões prefere afogar-se a ser comida viva pelos peixes

Olga – mulher morre por seus ideais

As Horas – um homem e uma mulher cometem suicídio ao acharem que é a sua hora

A Paixão de Cristo – os ideais de um homem o levam à morte

 

 

 

Para   lidar   com   apatia

Chegadas e Partidas – homem que se considera quebrado se conserta também por si

Tomates Verdes e Fritos – mulher que leva vida entediante ouve histórias que a inspiram a tomar as rédeas de sua vida

Chaplin – a história de um homem que lutou e nunca desistiu

Abril Despedaçado – um jovem que vive displicentemente busca enriquecer a própria vida

 

 

Sobre   hipnose

Ecos do Além – mulher faz uso vulgar da hipnose em festa de amigos criando problemas com os quais não estava preparada. Embora os fenômenos em questão sejam fictícios, o uso banal não o é.

Hipnose – uma indução regular em inscript para tabagismo é utilizado e uma boa indução para uma garota que sofreu um trauma

Hypnos – raros mecanismos de defesa ocorrendo durante tratamento com hipnose

K-PAX – psiquiatra faz uso de hipnose a fim de descobrir o que levou uma pessoa a tentar cometer suicídio

Duas Vidas – um possível trabalho em psicoterapia com hipnose fazendo uso de hipermnésia e pseudo-orientação no futuro, embora não ocorra qualquer menção à hipnose

 

 

 

SOBRE   A   NOÇÃO   DE   REALIDADE

Matrix 1 – a realidade enquanto a utilização dos sentidos

Viagens Alucinantes – a supressão de estímulos permitindo apenas a realidade pensada

Vanilla Sky – mistura similar à de matriz, vivendo dentro de um programa de computador que permite a noção de realidade devido à manipulação dos sentidos

Pescador de Ilusões – sujeito aprensentando um quadro de alucinação positiva de ver um cavaleiro vermelho que não existe

Hypnos – uma paciente dentro de um transe não percebido enquanto tal fazendo uso de personagens da vida de formas diferentes das reais

 

 

 

Medo   e   coragem

8 Mile – cantor trava em meio à platéia e desafio

Honra e Coragem – homem evita a guerra, mas é motivado a entrar nela quando sabe que seuas amigos estão em perigo

Procurando Forrester – homem com “síndrome do pânico” até que com uma visita inusitada se permite começar a sair de casa e viver

Chegadas e Partidas – apesar de se considerar um perdido na vida, levanta-se contrapondo ao seu passado, crescendo e superando diferentes obstáculos

Batman Begins – garoto com medo de morcegos utiliza deles para provocar medo nos criminosos

O Poder de Um Jovem – um garoto órfão com bons educadores aprende a lidar com os diferentes obstáculos de um ambiente adverso

Melhor é Impossível – homem com medo tem compulsões para evitar dores, as quais aprende a lidar devido a um amor

O Resgate do Soldado Ryan – apesar do medo de uma morte eminente, soldados vão ao encontro do perigo

Tratamento de Choque – homem evita situações adversas sendo constantemente abusado por outros, até que aprende a lutar pelas suas idéias

Olga – mulher luta pelos seus ideais, atividade essa que custa sua vida

 

 

 

Nobreza,   ética   ou   não

Gladiador – um homem lutando por seus ideais vê-se expulso e negligenciado, continuando até o final

Honra e Coragem – salvar os amigos e não uma nação cujos ideais discorda

Filhos do Paraíso – um garoto enfrentará uma corrida para dar um tesouro à sua irmã

Depois da Chuva – saber pelo quê lutar é tão importante quanto saber lutar

Dersu Uzala – heremita vive de forma harmônica com a natureza, com ambição, mas sem ganância

O Poder de Um Jovem – garoto aprender a lutar pela inclusão e não exclusão

Seven – Os Sete Crimes Capitais – alguns vícios contra o bem-estar do indivíduo ou do outro são punidos através de assassinatos

Por que Choram os Homens – alguns diferentes homens abrindo mão do que lhes é mais caro para preservar os seus tesouros

Elas me Amam… mas me Odeiam – homem fala a verdade entregando a sua empresa e sendo punido, entra numa situação aparentemente imoral, pelo menos de acordo com o normal

Malcolm X – a luta pela igualdade de direitos

Tempo de Matar – homem abre mão da própria segurança para lutar pelo quê acredita

Os Filhos do Paraíso – irmão luta para dar à irmã algo “perdido” por ele, que era muito importante para ela

Coração Valente – ao vingar-se de um lorde pela morte de sua amante, guerreiro se vê lutando por liberdade ao lado de um povo

O Rei Artur – um punhado de homens de diferentes religiões lutando pelo bem de outros

A Promessa – policial promete a uma mãe cuja filha foi assassinada justiça, para tanto irá até as últimas conseqüências, nem que lhe custe a sanidade

A Chave Do Sucesso – 3 colegas de profissão travam conversas que definem as suas vidas

A Sociedade dos Poetas Mortos – ensinar a pensar

Hamlet (com Kenneth Brannagh) – filho fará justiça pelo pai morto

Henrique V (com Kenneth Brannagh) – um tipo de nobre

O Herói – o melhor assassino de uma tribo deixa sua vítima viver para que outros possam viver

O Clã das Adagas Voadoras – em prol dos conhecidos e da moral de tribos diferentes, casal luta entre si

 

 

 

Para   lidar   com   raiva

Hurricane – O Furacão – homem é injustamente preso precisando aprender a lidar com a sua raiva até sair da prisão

Voltando a Viver – garoto passa por dificuldades até tornar-se irascível, passando então por terapia

Ghandi – lidar com a raiva de forma calma

Evil – Raízes do Mal – garoto aparentemente sem volta aprende a se governar para transcender a vida de até então

Instinto – homem mata outro, descobrir e neutralizar a sua raiva é a função de um psiquiatra

 

 

 

Sobre   desejos   infinitos   e   implicações

Ponto de Mutação – relações entre as coisas

Dias de Nietzsche em Turim – breve síntese de inúmeros pensamentos do filósofo

Sociedade dos Poetas Mortos – professor ensinando seus alunos a pensar

O Sorriso de Monalisa – versão feminina do filme acima

Íris – pensadora defende reflexões sobre o pensamento

 

 

Amizade

Senhor dos Anéis – amigos se unem para ajudar outros

O Último Samurai – matar o outro por amizade!?

A Cura – garoto com HIV acha a cura para o seu espírito na amizade

O Último Beijo – na tristeza e na alegria

A Chave Do Sucesso – longas amizades, claras afinidades e grande respeito

Eclipse Total – uma amiga aceitando o pedido de “eutanásia”

Gênio Indomável – o bem do amigo antes

A Era do Gelo – ajuda mútua em benefício mais mútuo do que próprio

Diários de Motocicleta – dois amigos em busca de algo maior do que eles

 

 

 

Mestres   e   aprendizes

Primavera, Verão, Outono, Inverno, Primavera… – aprendendo por vivências e não conceitos

Procurando Forrester – professor duro e aluno disciplinado

O Poder de Um Jovem – um bom homem não se faz sem bons preceptores

Guerra nas Estrelas III – O mau assim o é de acordo com quem?

Instinto – paciente liberta o próprio terapeuta

Adorável Professor – professor de música liberta seus alunos em detrimento de sua música

Gênio Indomável – terapeuta leva gênio a se conhecer e lidar com essa ação

 

 

 

Responsabilidade,   culpa   e  /  ou   perdão

O 5 o . Passo – passos de um homem em busca do perdão

Sobre Meninos e Lobos – quem deve ser o nosso juiz? A quem pedir absolvição?

21 Gramas – a vingança da vítima

A Chave do Sucesso – arrependimentos como parte de homens com caráter

Primavera, Verão, Outono, Inverno, Primavera… – pagar o preço pela perda do próprio governo

Magnólia – o que é perdoável e o que não é?

Estrada da Perdição – bom ou ruim? Apenas meu pai.

As Confissões de Schmidt – a minha mulher errou comigo… eu contribuí?

Crime e Castigo – culpas que atormentam

Amnésia – ao invés de responsabilizar a si, melhor é o fazer com o outro

A Filha do General – a traição do pai como mais violenta que um estupro

Advogado do Diabo – ao tomar responsabilidade frente o próprio poder, opção por autodestruição

O Conde de Montecristo – um homem quase consumido pela vingança

Os Imperdoáveis – conviver com os próprios crimes