Categorias
Curiosidades

Vamos plantar água? Água se planta com Agroflorestas

“A Vida baseada no Amor Incondicional gera abundância.” Ernst Götsch

Em períodos de secas, queimadas e clima insalubre devido a baixa umidade do ar e a fumaça dos incêndios, ocasionando um desastre ambiental de proporções catastróficas para o Brasil e o mundo é mister lembrar as lições de Ernst Götsch e as suas amadas e benfazejas agroflorestas.

Ernst Götsch nos mostra que agroflorestas são agroecossistemas semelhantes aos sistemas naturais: “a vida não conhece tempo, conhece fluxo.” Observando esta premissa ecossistêmica recupera solos degradados, sem insumos de fora, ao contrário da “revolução verde” e do modelo insustentável do agronegócio latifundiário e da monocultura.

A agrofloresta evita ciclos anti-ecológicos com desarmonia inoportuna. O Planeta Terra é um biocondensador, pois capta 1% da energia solar e armazena hidrocarbono, portanto as queimadas são suicídio.

A agrofloresta produz madeira, que não é plantada com esta finalidade exclusivamente, pois é um subproduto.

Ernst Götsch nos conta que comprou uma fazenda com o sintomático nome de “Fugidos da Terra Seca”, em Tabuleiro de Valença, na Bahia. Implantou o sistema de agroflorestas neste lugar seco e que o sistema impede secas na fazenda, mudando o nome da fazenda para “Olhos d’água”, pois as chuvas são retidas, houve formação de córregos, e tem quase o dobro de precipitação pluvial que as outras propriedades rurais no entorno.

Conta que se vale dos dispersores naturais de sementes: pássaros, até animais exóticos, cotias, outros  até então eram considerados extintos.

Frugívoros como o macaco-prego são plantadores de cacau e de jaca.Outro semeador é a paca, o gavião planta pupunha, a saúva é grande reflorestadora. Otimizadores do processo da vida!

Lembra que o guanandi na Mata Atlântica é indicador de nascente de água. Minhocoçu, com cerca de 2 metros e 350 gramas é indicador de terra boa.

Sua dica é plantar o que pode dar no local. A regeneração na floresta ocorre a partir de clareiras, até chegar a uma mata de clímax com ipês-roxo, guapuruvus. Na clareira planta logo pitanga e ingá, por exemplo.

Na caatinga recomenda plantar sisal, depois beldroega, mandacaru (cactus), guandu, feijão, caju, mamão.

Cuidado com animais domésticos (cabras, ovelhas, porcos,bovinos)  pois modificam a paisagem, originando a estepe.

“As espécies tem função prazerosa, criam o paraíso na Terra em comunicação.”

Saber do princípio hermético, atentando para processos regenerativo, respiratório. Cada espécie é pré-determinada pela que a precede, “somos parte de um sistema inteligente” recorda Götsch.

Colonizadores (bactérias), acumuladores com ciclos respiratório e regenerativo paralelos à ação dos polinizadores como as formigas, insetos, animais dispersores de sementes trazem muita abundância com muitos animais de grande porte atuando juntos com a sucessão natural para uma biodiversidade consolidada.

A placenta da agrofloresta são as vassouras, marcela, guandu. As criadoras da placenta são batata-doce, mandioca para uma densidade definitiva de vegetação semelhante a um monocultivo com respiração para levar a uma transformação com plantas secundárias tais como banana-nanica, araçá-mirim, jurubeba, tomate de árvore e chegando a um ciclo longo com pitanga, goiaba, abacate, araticum, ingá-cipó, algumas das canelas.

Lembrando que  leva de 250 a 300 anos para chegar ao clímax com as características de auto-reprodução da floresta (um ciclo completo de respiração da floresta ).

Em tempos de seca, principalmente ética e intelectual dos políticos brasileiros, propondo uma revisão desastrosa do Código Florestal Brasileiro recordemos Benjamin Franklin: “se as cidades forem destruídas e os campos forem conservados, as cidades ressurgirão, mas se queimarem os campos e conservarem as cidades, estas não sobreviverão.”

Acrescento: sem a floresta o campo perecerá queimado e desértico como podemos ver atualmente no Cerrado e na Amazônia.

Fonte:

http://www.aguaboanews.com.br/noticias/exibir.asp?id=6275&noticia=vamos_plantar_agua_agua_se_planta_com_agroflorestas

Categorias
Universo Astrologia

Nós Somos Natureza – Os Quatro Elementos na Astrologia

Os quatro elementos – Fogo, Terra, Ar e Água – podem ser considerados a base do mapa astrológico, dessa forma é um dos componentes básicos para interpretação.

São três signos para cada elemento, em Astrologia chamamos de Triplicidades:
Fogo: Áries, Leão e Sagitário.
Terra: Touro, Virgem e Capricórnio.
Ar: Gêmeos, Libra e Aquário.
Água: Câncer, Escorpião e Peixes.

Observando a natureza, suas formas e seus ciclos, chegaremos à conclusão que nós somos natureza e os quatro elementos simbolicamente fazem parte de nossa constituição como seres humanos.

Fogo – Radiante (Calor) – Colérico – Intuição – Positivo – Yang – Não tem forma e nem volume.
Motivação – motivar a ação – apenas age, sem pensar, sentir ou raciocinar, nossa motivação diária para atingir as nossas conquistas. Entusiasmados, vigorosos, autênticos, independentes, individualistas, livres. Podemos dizer que o fogo está ligado com as paixões. O fogo representa o nosso espírito, a intuição, não há necessidade de compreensão apenas intui. O verbo é SER.
Em excesso: Dificuldade em receber ordens devido a grande autonomia e liberdade, inquietação, irritabilidade, impulsivos, hedonistas e egocêntricos.
Em falta: Estagnados, desanimados, introspectivos, sem iniciativa, dificuldade em reconhecer o próprio valor, dependentes.

Terra – Sólido – Melancólico – Sensação – Yin – Forma e volume definidos.
O elemento terra está vinculado com a materialidade das coisas, aquilo que podemos ver, tocar, comer e cheirar. São sensoriais, sentem as coisas conforme a sua experiência. Estabilidade, segurança, produtividade, praticidade, objetivos, trabalho, realidade, prudência, conservador, cuidados com o corpo. Capacidade de materialização e realização. A terra representa o nosso corpo. O verbo é TER.
Em excesso: Materialistas, céticos, pragmáticos, pessimismo, teimosos, limitados, estresse, excesso de trabalho, avareza.
Em falta: Dificuldade em cuidar do corpo e de bens materiais, dificuldade de assumir responsabilidades terrenas como trabalhar, administrar a vida e a realidade das coisas. Dificuldade de provimento próprio.

Ar – Gasoso – Sanguíneo – Pensamento – Yang – Não tem forma e nem volume definido.
O elemento Ar está vinculado à razão, racionalizam as coisas, acontecimentos e pessoas. Está vinculado aos relacionamentos em geral, a nossa capacidade de compartilhamento. Participação, comunicação, intelecto, reflexão, pensamento, idealistas, curiosos, colaboração, multiplicidade, respeito pelas diferenças, acordos, negociações e trocas. É o viver em comunidade. O ar representa a nossa respiração. O verbo é PENSAR.
Em excesso: Hiperatividade mental, exaustão física, dispersão, nervosismo, necessidade de aprovação, superficial, instável.
Em falta: Dificuldade de comunicação, inibição, não-cooperativista, não consegue manter uma organização mental, dificuldade de concentração, desinteresse pelo aprendizado e pelas trocas.

Água – Líquido – Fleumático – Sentimento – Yin – Tem volume definido mas não tem forma.
Tem haver com a sensibilidade, com as emoções, sentem as coisas, os acontecimentos e as pessoas. É aquilo que nos afeta, que mexe com a interioridade. Capacidade de expressar as emoções e sentimentos, capacidades psíquicas, intensas e profundas. Irracional, inexplicável, responsivos, sensíveis, contemplativas, receptivas, gostam de silêncio, variam de humor e são modificadas pelo ambiente. No nosso corpo representa o sangue e todos os líquidos. O verbo é SENTIR.
Em excesso: Sensibilidade extrema, carência, insegurança, influenciável, sensacionalista, impressionáveis, mágoas, escapismos, vitimizações, influenciadas negativamente pelos ambientes e incapacidade de lidar com pressões.
Em falta: Insensíveis, antipáticas, falta de compaixão, dificuldade de expressar os sentimentos ou dificuldade em dominar as suas emoções, são frias sentimentalmente.

“Muitas vezes, nós esquecemos que somos natureza. A natureza não é algo separado de nós. Por isso, quando dizemos que nós perdemos nossa conexão com a natureza, nós perdemos nossa conexão com nós mesmos.”
Frase: Andy Goldsworthy

Texto:
Astróloga Thamiris de Melo
15 | 99133.4053
http://www.universoastrologia.com.br