Categorias
Comportamento

O que a ingratidão alheia nos ensina.

Na vida, tudo tem seu tempo. Nas relações, cada um tem um papel.

 

Se você é o tipo de pessoa que está sempre disposta a ouvir os outros e dar sua opinião quando te pedem, vai se identificar com esse assunto: a ingratidão alheia.

Tudo bem que quando damos a nossa opinião sem ninguém ter pedido, corremos o risco de ser ignorados e não temos que achar isso ruim. Temos que saber também que ninguém é obrigado a ficar reconhecendo a nossa ajuda, afinal, fazemos pela satisfação de ver o outro melhor.

Mas de fato, quando estamos envolvidos com o problema de alguém com quem nos importamos e conseguimos ver uma solução através da nossa perspectiva, queremos muito que a pessoa também veja e vença a dificuldade.

Quando isso não acontece, ficamos até um pouco frustrados, mas temos que tomar cuidado com esse sentimento. Ele é um alerta para não ultrapassarmos a linha territorial do outro. Não é porque alguém pediu nossa opinião e nós demos, que a pessoa tenha que segui-la, mesmo que seja uma boa saída para o problema em questão.

O que pode estar havendo, normalmente, são duas hipóteses: ou a pessoa ainda não consegue enxergar o seu conselho como uma solução ou ainda não está pronta para colocá-lo em prática, mesmo sabendo que vai ajudar.

Portanto, a partir do momento em que você deu o seu conselho, seu dever foi cumprido. Ponto. A partir daí, não é mais com você. Não assuma mais responsabilidade do que o necessário, pois cada um precisa caminhar no seu ritmo, construir o próprio caminho.

Talvez a pessoa vá refletir sobre o que você disse mas só vá perceber que você estava certo depois de tomar outra decisão e não conseguir resolver o problema. O aprendizado faz parte da vida, você sabe disso, ou não estaria apto a dar conselhos.

Se a pessoa ouviu sua sugestão, agiu de forma similar e depois te culpou por ter dado errado, fique tranquilo da mesma forma. Você apenas aconselhou, mas cada um deve saber do risco que corre quando assume escolhas na vida.

Com esse esclarecimento em mente, utilize as situações de ingratidão alheia para continuar aprendendo e evoluindo. Respeite o espaço e o tempo de cada um. E principalmente, não tenha medo de continuar aconselhando quem busca sua ajuda.

Dar um conselho e ficar esperando que lhe agradeçam pelo bom resultado é o mesmo que plantar uma semente de tamareira acreditando que viverá o suficiente para colher os frutos.

 

Por Ricardo Dih Ribeiro

Estude a si mesmo, liberte-se de padrões limitantes, expanda a sua consciência. Mergulhe numa nova forma de pensar, compreender e sentir a si mesmo e tudo ao seu redor.

"Quando descobrires os segredos que estão nas profundezas do teu ser, conhecerás o seu destino e quando despertares os teus potenciais iniciará sua jornada"

"Que o Sagrado que habita em ti Revele-se, manifestando-se em Ti e em todo o Universo."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s